CAPELANIAS

ANDERSON GUERRA

CAPELANIA PRISIONAL

AÇÃO MISSIONÁRIA EM PRESÍDIOS FLUMINENSE.

Esta ação missionária consiste em aprimorar a relevância da Igreja no contexto prisional e sua eficácia na atuação, ressocialização e reinserção do egresso do sistema penitenciário fluminense. Em destaque do cenário catastrófico, bem como a estatística da superlotação do sistema penal, a caótica e asfixiante realidade da reincidência dos egressos que por conta da inércia, ineficiência e inoperância das autoridades competentes. Em virtude desta realidade e tendo em vista o crescimento da reincidência que oscila em torno de 70 a 85%, segundo dados do Levantamento Nacional de Informações Penitenciarias (INFOPEN), diante deste cenário, advoga o missionário, que as Igrejas de Jesus Cristo têm fundamental relevância na principal finalidade da pena como quesito ressocializador e na reinserção do apenado.

Essa intervenção missionária tem como meta gerar a unidade da Igreja como corpo, cuja cabeça é Jesus  Cristo, em que terá como norte o projeto de koinonia (comunhão) nas Igrejas de Cristo Jesus Senhor nosso. Esse projeto parte do principio em dialogar a probabilidade de interação entre o pastor missionário que realiza o trabalho de capelania dentro da prisão, com o Pastor da igreja local em que o apenado voltará assim que ganhar a sua liberdade. Dessa maneira, potencializar a real contribuição com ações concretas  para a diminuição da reincidência nos presídios fluminenses e efetivamente manter firmados na fé os irmãos que foram ganhos para Cristo em prisões e, mantê-los inseridos dentro dos respectivos arraiais eclesiásticos.

Nessa perspectiva, os resultados referentes ao trabalho de evangelização e discipulado realizados dentro das prisões são significantemente relevantes e contribuem sobremaneira a priori para o sistema penal propriamente dito no que tange a paz dos que estão ao alcance do evangelho pregado pelo missionário no ministério de capelania prisional em todo o sistema carcerário. Essa mesma ação evangelizadora e transformadora tem sobretudo relevância ainda mais expressiva e exponencial quanto à sociedade, que é diretamente beneficiada com o impacto na redução da criminalidade e estagnação da reincidência que é a maior causa de atos violentos dentro e fora dos muros. Isso porque o resultado da conversão dos detentos, que uma vez conhecedor das leis de Deus por intermédio do seu Filho Jesus Cristo, propagada pela Igreja local, jamais voltará a cometer crimes contra a sociedade que outrora ele havia permitido,  por conta da violação e rompimento do contrato social. Ressalta-se ainda, para dar mais ênfase à este projeto missionário, à limitação ao planejamento do acolhimento dos que transpassam os portões das nossas prisões em solo fluminense.

Diante do exposto, destaca-se novamente, o expressivo impacto gerado pela relevância da Igreja de Cristo Jesus dentro e, sua atuação fora dos presídios. Portanto, torna-se notória a relevância do mandato de Cristo dentro do sistema propriamente dito, em que a administração penitenciária é a maior beneficiada com o trabalho intramuros, sobretudo vale salientar que o maior impacto será absorvido pela própria sociedade como um todo no que concerne à diminuição da reincidência criminal por causa do novo nascimento dos presos evangelizados e gerados pelas Igrejas evangelizadoras em unidades prisionais em solo fluminense existentes no local.

RODRIGO CUNHA

CAPELANIA PRISIONAL

A realidade prisional é fria e muitas vezes desumana. A estrutura do Estado privilegia a punição do indivíduo e se esquece da ressocialização do ser. Como sabemos disso? Porque enxergamos a realidade carcerária e fizemos dela nosso campo missionário. A Convenção Batista Fluminense, através do departamento de Missões Estaduais, mantém no presídio Diomedes Vinhosa Muniz, em Itaperuna, ações de capelania prisional, tais como aconselhamentos, discipulado e capacitação de líderes com foco no estudo da Bíblia e na formação de evangelistas.

Esses internos convertidos são preparados biblicamente para evangelizar, pregar, ensinar, discipular, cuidar… enfim, para toda boa obra. No Presídio Diomedes Vinhosa Muniz, em Itaperuna, já são mais de 200 irmãos batizados entre os presidiários. Eles realizam cultos diários em todas nas celas da prisão e o Senhor vai acrescentando a cada dia os que vão sendo salvos.

Este ano uma nova frente irá se abrir no presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos dos Goytacazes, onde irá atuar o missionário Anderson Guerra. O presídio Patrícia Acioli, em São Gonçalo, também é uma possível frente de ação missionária este ano.

LUCAS CASTOR

CAPELANIA UNIVERSITÁRIA

Um grupo de estudantes se reúnem todas as segundas-feiras, no campus da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro para dialogarem sobre fé, esperança e outros assuntos relacionados ao cristianismo. Esses encontros acontecem na sala reservada para capelania da universidade que acolhe os universitários novatos e veteranos em rodas de conversa.

Criada há cerca de quatorze anos, a Capelania UFRRJ é um órgão da universidade que realiza grupos de orações e estudos bíblicos semanalmente dentro do campus. “Nossa proposta é evangelizar. Levar ajuda e uma palavra amiga tanto para quem já ouviu falar de Deus, como para quem não ouviu. E fazer o aluno ficar bem, porque quando estamos em paz, todo o resto dá certo, as provas, a moradia, o fato de ficar longe da família, tudo fica mais suave”, falou a aluna do oitavo ano de educação física Maria Paula (Membro da PIB Barra do Piraí)

A jovem é de Barra do Piraí, região do Sul do estado do RJ e decidiu fazer parte porque sentiu na prática os benefícios do grupo. “Quando eu entrei na faculdade, eu fiquei com medo, era muita responsabilidade. E quando conheci pessoas que tinham a mesma fé, os mesmos princípios, eu percebi que não estava mais sozinha e isso me confortou”, lembrou Maria Paula.

O missionário Lucas Castor, responsável pela capelania, colheu frutos deste trabalho em 2019 com o batismo de alguns jovens alcançados nas ações de capelania dentro do campus. Eles passaram pelas águas na PIB de Seropédica e são membros daquele igreja agora. Muito mais pode ser feito e este ano vamos expandir para outras ações de capelania universitária nas cidades de Niterói e Rio das Ostras.

PAULO OGG

CAPELANIA HOSPITALAR

A Feira Literária do Hospital da Posse (Fliposse) foi uma das inúmeras atividades desenvolvidas pela Capelania Hospitalar no Hospital Geral da Posse em Nova Iguaçu. Semanalmente são mais de dez projetos que ocorrem internamente no HGNI. O desenvolvimento deste trabalho acontece ao longo dos anos e conta com a participação de 580 voluntários de várias igrejas que doam parte do seu tempo para se dedicarem no avanço do trabalho.

A Capelania se esforça para atender todas as alas do HGNI e além dos pacientes, funcionários e familiares dos enfermos também são alvos de visitação e acolhimento da capelania hospitalar. O trabalho realizado diariamente pelos voluntários é intenso, mas com a participação e o envolvimento de todos na missão, a capelania tem se tornado efetiva e tem feito a diferença na vida de muitas pessoas.

Outras frentes de capelania hospitalar foram iniciadas e a capelina Materno Infantil foi iniciada na Maternidade Mariana Bulhões, em Nova Iguaçu. Este ano Missões Estaduais vai investir na ampliação das cidades contempladas com este projeto missionário.

EDSON SILVA

CAPELANIA MILITAR

Rio de Janeiro (RJ) – As atividades da capelania da 1ª divisão do exército da Vila Militar, são inúmeras e mantém o capelão sempre em contato com as tropas. Além de cultos religiosos semanais, que são realizados em dias fixos no Núcleo Evangélico da Vila Militar, o capelão também realiza atendimentos individuais e em grupo.

Formado em Teologia, o 1° Tenente Capelão Edson Silva possui uma agenda repleta, que contempla cultos evangélicos nas unidades, benção nas formaturas, visita aos enfermos do HGE, além de atendimento aos familiares, batizados, casamentos e exéquias – assistência nos funerais. Uma das suas principais funções é levar a espiritualidade e o apoio humano e social aos integrantes das corporações, além de ser pastor missionário, no cuidado e aconselhamento de jovens militares nas 52 organizações militares que fazem parte da 1ª divisão do exército da Vila Militar.

A capelania também integra a força tarefa do Programa de Valorização da Vida (PVV). Ela atua no processo de humanização das organizações militares e no apoio psicossocial, respeitando a fé, credos e tradições daqueles que são atendidos. "É papel do capelão oferecer apoio espiritual, além de emocional e social àqueles militares que enfrentam circunstâncias difíceis. A assistência é provida independentemente de preferência religiosa”, esclarece o 1º Tenente Edson Silva, capelão do núcleo evangélico. Semanalmente nas OM são realizados encontros religiosos do segmento evangélico.

Acreditamos que o evangelho de Jesus tem tudo a ver com o que acontece com a vida de nossos militares, por isso convidamos você para conhecer melhor este projeto de missões estaduais, fazer uma doação e envolver-se nesta missão.

JOANA RAPHAEL

CAPELANIA ESCOLAR

Aconselhamento, doação de material escolar e esportivo, palestras motivacionais e oficina de capacitação. Estas são algumas das funções desempenhadas pelo ‘Projeto Escolhas’, que há sete anos orienta jovens e adolescentes de várias cidades do estado do Rio de Janeiro na carreira profissional e vocacional, é realizado pela capelania escolar. Junto com o projeto Fábulas e Parábolas, também da capelania, o programa já atendeu cerca de 14.000 mil alunos das redes municipais e estaduais e tem avançado cada vez mais, são cerca de 19 projetos em desenvolvimento, funcionando por escolas estaduais e municipais de algumas cidades do estado do Rio de Janeiro.

De maneira prática, o trabalho busca uma abordagem multidisciplinar, através de palestras sobre a vida pessoal, social e emocional dos alunos. A partir desse primeiro contato, é possível “acompanhar alunos em suas crises existenciais e, por extensão, os seus familiares. Idealizado e coordenado pela orientadora educacional e missionária Joana Raphael, o projeto é totalmente gratuito, e atua nas redes municipal e estadual de educação, ajudando a resgatar a autoestima dos estudantes e reduzir a evasão escolar.

Cada vez mais as portas têm sido abertas para o projeto escolhas, mas ainda assim existem muitos desafios para que o projeto continue em constante desenvolvimento, alcançando mais alunos e transformando-os em discípulos de Jesus, esse é o alvo principal.

© 2023 por MISSÕES ESTADUAIS. Criado por Sulamita Lima  ,  Para Perguntas /  Envie um e-mail evangelismo@batistafluminense.org.br